Leitura › Matéria
04/05/2017 - A ERA DE PERGAMO
Pergamo (antigo nome) ficava situada em Mísia, em um distrito banhado por três rios, por um dos quais ela se comunicava com o mar. Ela descrita como a mais ilustres das cidades da Ásia. Era uma cidade de cultura com uma biblioteca sobrepujada somente pela Alexandria. Porem ela era uma cidade de grande pecado, entregue a ritos de adoração a Esculápius, a quem eles adoravam na forma de uma serpente viva qual habitava e se alimentava no templo. Nesta bela cidade de bosques irrigados, passeios e parques públicos vivia um pequeno grupo de crentes dedicados que não foram iludidos pela beleza exterior, e que abominavam a adoração Satânica que enchia a praça. A Era de Pergamo se estendeu por cerca de trezentos anos de 312 a 606 A.D.

Usando nossa regra dada por Deus para escolher o mensageiro para cada dispensação, isto é, escolhermos um cujo ministério se aproxima mais de perto aquele do primeiro mensageiro, Paulo, nós sem nenhuma hesitação declaramos ser, para Pergamo, Martin. Martin nasceu em 315 na Hungria. Porem, sua vida de trabalho transcorreu na França onde serviu como bispo em Tours e pelas suas redondezas. Ele morreu em 399. Este grande santo era tio de outro maravilhoso cristão. São Patrício da Irlanda. Martin converteu-se a Cristo quando seguia carreira como soldado profissional. Foi quando ele estava engajado nesta ocupação que ocorreu um milagre maravilhoso. Conta-se que um mendigo caiu moribundo a margem da estrada da cidade para onde Martin sido designado. O frio do inverno era mais do que ele podia resistir porque ele estava muito mal agasalhado. Ninguém prestava atenção nenhuma atenção as suas necessidades até que Martin passou por ali. Vendo o estado deste pobre homem, não tendo porem uma túnica extra, ele tomando sua capa, cortou-a em duas com sua espada, e enrolou uma parte no homem enregelado. Ele o socorreu da melhor maneira que pode e seguiu seu caminho. Naquela noite o Senhor Jesus apareceu-lhe em uma visão. Ei-Lo, como um mendigo, envolto na metade da capa de Martin. Ele falou com ele dizendo-lhe, “Martin, embora ele seja simplesmente um catecúmeno ele Me cobriu com esta capa”. Daquele tempo em diante Martin procurou servir o Senhor com todo o seu coração. Sua vida tornou-se uma serie de milagres manifestando o poder de Deus. Depois de haver deixado o exercito e tendo se tornado um líder na igreja, ele assumiu uma posição militante contra a idolatria. Ele derrubou os bosques, quebrou as imagens e demoliu os altares. Quando enfrentado pelos pagãos por suas obras ele os desafiava quase da mesma maneira que Elias fazia com os profetas de Baal. Ele se ofereceu para ser amarrado em uma arvore no lado de baixo desta, de modo que quando ela fosse cortada ela o esmagaria a menos que Deus interviesse e rodasse a arvore enquanto ela estivesse caindo. Os astutos ímpios amararam-no em uma arvore que estava crescendo ao de uma montanha, seguros de que a atração da gravidade faria com que arvore caísse de modo a esmagá-lo. No instante em que a arvore começou cair, Deus tombou-a no sentido de morro acima, contrario a todas as leis. Os ímpios procurando fugir foram esmagados pela arvore que caiu sobre vários deles.