Leitura › Matéria
19/04/2017 - A ERA DE ÉFESO
“Escreve ao anjo da igreja que esta em Éfeso: isto diz aqueles que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro: Eu sei as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste á prova os que dizem ser apóstolos e não o são, e tu os achaste mentirosos. E sofrestes, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome e não te casaste. Tenho, porem contra ti que deixaste a tua primeira caridade. Lembra-te, pois donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres. Tens, porem, isto: que aborreces as obras dos nicolaitas, as quais eu também aborreço. Quem tem ouvidos, ouça o que os Espírito diz as igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da arvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus”.

Apocalipse: 1-7

O mensageiro (anjo) da igreja de Éfeso foi o apostolo Paulo. Não pode ser negado que ele foi o mensageiro da primeira Era da dispensação gentílica. Embora a Pedro tenha sido confiada a autoridade de abrir as portas aos gentios, foi dado a Paulo ser seu apostolo e profeta. Ele foi o profeta-mensageiro aos gentios. Seu oficio profético, por meio do qual recebeu a revelação completa da Palavra aos gentios, lhe vindicou como seu mensageiro apostólico. Em Jerusalém, os demais apóstolos estavam de acordo com isto. Atos: 10-47 “Respondeu então Pedro: pode alguém por ventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor”. Isto aconteceu com os gentios, Pedro abrindo a porta da graça, batizando a casa de Cornélio o centurião romano. Gálatas: 2-9 “E conhecendo Tiago, Cefas, e João, que eram considerados como as colunas, a Graça que se me havia dado, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fossemos aos gentios, e eles á circuncisão”. Romanos: 11-13 “porque convosco falo, gentios, que, enquanto for apostolo dos gentios, glorificarei o meu ministério”. Paulo fundou a igreja em Éfeso como que em meados do primeiro século. Isto nos permite fixar a data do começo da Era da Igreja de Éfeso; cerca de 53 D.C.